Deputado 'anti-masturbação' quer proibir vídeo de conteúdo adulto na internet
Deputado federal apresentou na Câmara projeto para criminalizar a masturbação no Brasil. Proposta de Marcelo Aguiar (DEM/SP), que é pastor e cantor gospel, obriga as operadoras a interromperem vídeos-pornô e conteúdos sexuais.

Um projeto do deputado federal Marcelo Aguiar (DEM-SP) que tramita na Câmara dos Deputados, em Brasília, tenta diminuir o número de “masturbação” na internet brasileira. 

O PL 6.449/2016 quer obrigar as operadoras a criarem sistemas que filtrem e interrompam automaticamente todos os conteúdos de sexo virtual, prostituição e sites pornográficos.

Aguiar, que pertence ao Democratas, partido que se define como conservador nos costumes e liberal na economia e é da base de apoio do governo de Michel Temer, afirma que há “viciados em conteúdo pornográfico e na masturbação”
No texto, o deputado justifica a medida dizendo que a “a pornografia veio substituir a prática sexual com outra pessoa”. 

Resultado de imagem para Marcelo Aguiar (DEM/SP)
O deputado Marcelo Aguiar (DEM/SP) anda muito preocupado com o ‘5 contra 1’ dos brasileiros.
Aguiar ainda alega que “estudos atualizados informam um aumento no número de viciados em conteúdo pornô e na masturbação devido ao fácil acesso pela internet”.

De acordo com o documento, disponível no site da Câmara, o deputado acredita que “os jovens são mais suscetíveis a desenvolver dependência e já estão sendo chamados de autossexuais – pessoas para quem o prazer com sexo solitário é maior do que o proporcionado, pelo método, digamos, tradicional”.

Músico com carreira sertaneja gospel e pastor, o deputado Marcelo Aguiar foi eleito em 2010 com 98.842 votos, mas obteve apenas 65.970 votos em 2014, ficando como primeiro suplente da bancada. Tomou posse em fevereiro de 2015.

AS INFORMAÇÕES SÃO DO PRAGMATISMO
EDIÇÃO DE ANB ONLINE


Alexandre Garcia lançou mão da expressão ‘mera coincidência’ para analisar fato controverso envolvendo aluguel de imóvel pelo Governo do Estado. 

POR FERNANDO ATALLAIA
DIRETO DA REDAÇÃO

As fugas ocorridas na Funac em 2016 até então pareciam corriqueiros acontecimentos diante da descoberta do aluguel de R$ 172 mil já pagos a um comunista pelo Governo do Estado pela locação da unidade da Aurora. 


O fato chamou atenção da imprensa nacional-única instituição capaz de tirar das alcovas da vaidade o secretário-amigo-irmão-camarada de Flávio Dino, Marcio Jerry. O Governo teme desgaste na esfera nacional, onde o governador empreende com frequência manutenção da imagem junto à mídia do eixo Rio/São Paulo, por alimentar a jactância de tornar-se nome